quarta-feira, agosto 18, 2010

Black Swan - Trailer


Oh my oh my será que temos aqui mais uma obra prima de Aronofsky? Bem parece-me que a escuridão que caracteriza Reqiuem For a Dream está bem patente neste novo trabalho do realizador. E a Natalie Portman está perfeita, como sempre. Ora vejam:

quarta-feira, agosto 11, 2010

Due Date - Trailer


Oh mas que bem, dois dos actores mais interessantes de Hollywood juntaram-se e fizeram esta pequena pérola, saída das mesmas mentes criativas de The Hangover. Robert Downey Jr. e Zach Galifianakis + bonston terrier, juntaram-se naquilo que será possivelmente tão bom ou melhor que The Hangover, e promete gargalhadas instantâneas com RDJ a apanhar boleia com ZG, para chegar a tempo do nascimento do filho. Ora vejamos o trailer:


sábado, agosto 07, 2010

It's Kind of a Funny Story - Trailer



Zach Galifianakis esse génio da comédia actual está de volta, desta vez fechado (ou nem tanto) na ala psiquiátrica de um hospital. A ele junta-se Emma Roberts, Viola Davis, Lauren Graham e Keir Gilchrist num filme realizado por Anna Boden e Ryan Fleck (Half Nelson).
Ah, e a música que explode a meio do trailer (que na minha opinião assenta que cem uma luva) é de Ida Maria:



Trailer disfarçado de videoclip?



Hoje perdi uns minutos da minha tarde, e fui ver qual era o hype que havia em volta do novo videoclip do Eminem que voltou este ano com um novo álbum (Recovery), o single em questão é o Love the Way You Lie, que conta com a participação de Rihanna. O vídeo, esse é bem mais interessante: Megan Fox a par com Dominic Monaghan (Charlie da série televisiva "Lost") são amantes numa relação que tudo aponta ser bem difícil (ah, já se ouvem os "rawrs" dos activistas contra violência doméstica). A intensidade que este dois actor atribuem ao vídeo nesta relação apaixonada, volátil e abusiva, a par com o facto de Megan Fox não se ouvir uma única vez, fazem com que eu tenha vontade de ver o filme deste trailer! Sim, vocês leram bem, na minha opinião, este filme seria óptimo, para além de até seria bem interessante ver a Megan Fox neste tipo de registo. Fica aqui o pedido oh mighty Hollywood! Vá, não seria assim uma ideia tão descabida.

True Blood


Não sei se já não vos terei falado sobre isto, mas quem me conhece sabe bem que não perco um episódio, e até ando a ler os livros (escritos por Charlaine Harris) que deram origem à adaptação para a HBO pelo génio Alan Ball (o mesmo escritor daquela pequena série 6 Feet Under, lembram-se?). A premissa dos vampiros, dizem vocês, está mais do que esgotada. Mas meus amigos, tenho-vos a dizer que não é verdade. Não não. True blood reinventa essa tagarelice dos vampiros (e mais recentemente dos lobisomens também), numa série espectacularmente divertida, e nada previsível. Aconselho a procurarem pela série, nos sítios dos costume (já está disponível a segunda temporada em DVD), e para quem procura uma leitura de verão, os livros também estão muito interessantes.
A série conta a história de Sookie Stackhouse, uma empregada de mesa na pequena cidade (?) de Bon Temps, numa realidade em que os vampiros vivem sob regras e leis, em conjunto com os humanos. Como é óbvio isto dará aso a uma série de situações divertidissimas, e que é certo proporcionam uma boas gargalhadas, ao mesmo tem que nos deixará a roer as unhas de curiosidade.
Os actores que carregam de uma forma quase despreocupada a série aos ombros, já contam com algum historial, como é o caso de Anna Pequin (certamente lembram-se dela de X-Men, Almost Famous e de The Piano), outros são caras novas (para o olho mais desatento), mas nem por isso menos convincentes, como Alexander Skarsgård e Stephen Moyer.
Face ao sucesso da série, da extensa e eficiente campanha publicitária, já está a ser alinhavada uma banda desenhada e ainda um video jogo.
Mais motivos? Então adianto já que há muito nudismo... Para ambos os lados.

Fartos da Lady GaGa?


Provavelmente é este o meu problema com a senhora, deparei-me com um artigo, que disseca o porquê da Lady GaGa ter que parar o que está a fazer agora, e hibernar um pouco, para que, quando voltar, tudo pareça fantástico novamente. É de reparar que não há dia que ela não figure em sites da especialidade e mês que passe sem ser capa de revista, já para não falar na repetição quase que obsessiva das músicas na rádio. Posto isto tenho que concordar com todas as palavrinhas da jornalista do site www.gawker.com que vem fazer uma espécie de pedido de hibernação da artista. Não menosprezando o talento (ou falta dele, depende do que vos deixa mais felizes, aqui somos ecléticos), o artigo a certo ponto diz que GaGa é claramente a princesa do Pop e sucessora da rainha Madonna, MAS, não obstante, e já que usa tantas referências da rainha, poderia também fazer o mesmo, que seria tirar um tempinho, fazer uma pausa Kit Kat enquanto não lança um novo álbum, e depois voltar fresquinha!

Screw Britney, Christina, and even Beyoncé, Gaga is clearly heir to Madonna's pop princess throne. And she could be even greater than her predecessor. But first we need to be able to appreciate her talents once again. Lady Gaga: You're hereby convicted of overexposure. Your sentence is six months of solitary confinement. Now, please, just go away.
Devo confessar que concordo plenamente com o artigo. Está na altura de alguém tirar férias.

segunda-feira, agosto 02, 2010

Personalidade do Mês: Joseph Gordon-Levitt


Também numa de revitalizar aqui as rubricas do blog, venho com esta novidade, todos os mês haverá uma personalidade nesta rubrica “personalidade do mês”, com a promessa que vou arranjar um nome melhor para isto, a quem vamos dissecar factos de extrema relevância (se for o mês da Jolie vamos ordenar os filhos dela por ordem alfabéticas, ascendente, descendente, e por aí fora), e outras coisas menos relevantes (o último disco que lançaram, o último filme que fizeram, and so on).

Este mês temos Joseph Gordon-Levitt. O jovem que todos nós, salvas raras excepções, conhece este actor, nascido em Los Angeles em 1981, primeiro como Tommy Solomon na série televisiva 3rd Rock From the Sun, série que durou desde 1996 até 2001, e que proporcionou muitas risadas a uma geração inteira que começava a descobrir as sitcoms. Desde então já o vimos numa série de filmes que nos aqueceram o coração, 10 Things I Hate About You, mais recentemente Brick, 500 Days of Summer e (na minha opinião o filme do ano a par com Shutter Island) Inception. Ao longo da semana vamos dedicar um post a cada uma das suas interpretações mais “notórias”. Stay tunned!